Investidores

O Luso Carbon Fund foi criado e desenhado tanto para investidores financeiros como para investidores com compromissos de redução de emissões, onde se incluem empresas industriais abrangidas pelo Comércio Europeu de Licenças de Emissão (CELE) e/ou Governos sujeitos a limites de emissão de GEE estabelecidos pelo Protocolo de Quioto. De acordo com a legislação Portuguesa, as unidades de participação do fundo são consideradas instrumentos financeiros complexos, portanto adequadas para contrapartes elegíveis e clientes profissionais.

A existência de dois tipos de investidores, financeiros e de cumprimento, permite ao fundo ter uma estratégia diversificada de gestão de carteira e de originação. Os investidores são sempre informados de actualizações relevantes nas actividades do fundo, através de:

  • Divulgação mensal da carteira
  • Valorização mensal de activos
  • Relatórios e Contas semestrais

Actualmente o Luso Carbon Fund está fechado a investidores.

Especificações do fundo

  • Valor Inicial da Unidade de Participação – €50.000
  • Mínimo de Subscrição por Participante – €50.000 na subscrição inicial
  • Duração do fundo: 10 anos
  • Periodicidade do Cálculo e Divulgação do Valor da Unidade de Participação – Mensal, divulgada através do site da entidade supervisora
  • Comissão de Subscrição – 0,0%
  • Comissão de Gestão Fixa
    • 2,25% se Valor Global Fundo (VGF) <= 50M€
    • +1,5% se 50M€ < VGF <= 75M€
    • 0,75% se VGF > 75M€
  • Comissão de Gestão Variável - 20% sobre a parcela que exceder 8% da valorização anual da unidade de participação “High Water Mark Level”
  • Comissão de Depósito – 0,375% ao ano
  • Liquidez – Os participantes podem negociar as suas unidades de participação, sendo o preço determinado entre vendedor e comprador (caso a entidade gestora intermedeie a operação, a comissão máxima é de 5%)
  • Resgate - Por se tratar de um fundo fechado só é permitido o resgate aos participantes que tenham votado contra a prorrogação do prazo do Fundo em Assembleia de Participantes
  • Entidade Supervisora - Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM)